sábado, 1 de março de 2014

MORRE O INSPIRADOR ARNESTO DO SAMBA


Aos 99 anos, faleceu na quarta-feira passada o violonista Ernesto Paulelli, imortalizado no Samba do Arnesto, composição do genial sambista Adoniran Barbosa.

Quando se conheceram, em 1938, Adoniran pediu um cartão a Ernesto e, ao lê-lo, pronunciou Arnesto. Corrigido que foi, disse Adoniran: "Você é Arnesto e eu vou te fazer um samba, porque teu nome dá samba, rapaz. Você aduvida?" [sic].

A promessa só foi cumprida em 1953, quando o Samba do Arnesto foi lançado e se tornou um estrondoso sucesso. Quem - pelo menos do mais velhos, como eu - já não cantarolou que 'O Arnesto nos convidou pra um samba, ele mora no Brás / Nós fumus, não encontremos  ninguém"? Não encontraram porque Ernesto não morava no Brás, mas sim no bairro da Mooca...

São curiosidades sobre a vida do Arnesto - digo, Ernesto - que só conheci agora, quando noticiada a sua morte.

O que mais me surprendeu, contudo, foi saber que Ernesto sempre quis ser advogado, mas só ingressou na carreira aos... 60 anos! Sim, na sexta década de vida, quando a maioria dos advogados, se já não tiver se aposentado, está pensando seriamente em fazê-lo.

Ainda mais surpreendente foi saber que Ernesto exerceu a advocacia por mais de trinta anos. Emocionante, não? E inspirador também.

A advocacia, apesar das agruras que a cercam, é ou não é uma profissão fascinante, meus amigos?

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.