sábado, 1 de setembro de 2012

COMO É BELA A JUSTIÇA



A 4ª Câmara de Direito Civil do TJSC confirmou sentença que havia condenado ao pagamento de indenização por danos morais o ex-aluno de uma escola em regime de internato, de Araquari, que simulou o furto de uma cédula de 10 reais para incriminar um colega de quarto. A falsa vítima teve acesso ao armário do colega, anotou o número de série de uma nota que estava dentro da carteira deste e posteriormente procurou a direção da escola para informar que havia sido furtado, chegando a registrar ocorrência em delegacia de polícia. Ele afirmou à direção da escola que havia anotado o número de série da cédula alegadamente furtada porque já teria sido furtado noutra oportunidade. Feita busca nos armários dos alunos, foi encontrada a nota indicada pelo comunicante na carteira do acusado, que passou a ser chamado de ladrão por colegas da instituição.

Durante a investigação feita pela escola foram ouvidos colegas de quarto do comunicante e do acusado e ficou provado que tudo não passou de uma farsa. A premeditação e a frieza do jovem estudante são perturbadoras. Seu escuso objetivo – macular a honra de um colega de quarto, provavelmente desafeto seu – foi alcançada durante alguns dias. Mas o desfecho do caso revela o quão poderosa, linda e restauradora é a verdadeira justiça.

A íntegra da notícia, disponível no site do TJSC, pode ser lida aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.