sexta-feira, 2 de agosto de 2013

PARA A TURMA DO TAMBOR



A frase da semana vai, sem sobra de dúvidas, para o presidente da Comissão de Direito Digital da OAB/SC, Dr. José Vitor Lopes:

"Gestor eficiente não bate tambor, analisa e resolve!"

O assunto peticionamento eletrônico é deveras complexo e não se resolverá com insultos e gritaria raivosa, mas sim com técnica, diplomacia e competência.

Com diplomacia e competência, aliás, a atual gestão da OAB/SC conquistou estacionamento para os advogados ao lado do TJSC. No passado, a seccional decidiu pelo enfrentamento, quando o então vice-presidente Márcio Vicari impetrou mandado de segurança para garantir vagas dentro do TJ. Deu em nada, como todos sabem. Diplomacia é importante, gente. Lutar todo advogado sabe, mas é preciso saber a hora de vestir a armadura, principalmente quando você fala em nome de toda uma classe.

Tenho acompanhado atentamente manifestações da turma do "quanto pior melhor". Seus "integrantes", ao invés de procurar a OAB/SC - essa sim a verdadeira "voz da advocacia catarinense" - para colaborar, preferem criticá-la pela demora da solução dos problemas do sistema de peticionamento eletrônico do TJ. Devem pensar que ninguém enxerga as reais intenções das críticas.

Entendo perfeitamente aqueles que estão incomodados com o mau funcionamento do peticionamento eletrônico e a insatisfação de quem, de boa fé, tem feito  críticas, mas percebe-se nitidamente que tem gente querendo tirar proveito da situação. Não é com tambores ou cornetas que mudaremos esse quadro.

A verdade é que os membros da comissão presidida pelo Dr. José Vitor estão trabalhando incansavelmente para que o sistema do TJ melhore. Tenho certeza de que terão êxito. Só não conseguirão mudar as cabeças de certas pessoas.

Um comentário:

  1. Postei no meu Face e reproduzo aqui:
    "Fazer oposição é legítimo e quem está no comando deve ter espírito republicano para conviver com as críticas. Mas, convenhamos, existe algo mais deprimente e constrangedor do que um "político" que não consegue aceitar sua derrota? O sujeito deixou a tribuna do Supremo Tribunal vazia, quando mais os advogados de Santa Catarina precisavam ser defendidos pela sua liderança. Foi reprovado fragorosamente nas urnas. Agora, para gáudio de seus (poucos) ainda admiradores, posa de campeão na defesa dos interesses da classe, imiscuindo-se em assuntos que está sendo muito bem conduzidos pelos atuais dirigentes da entidade, sob a liderança firme e responsável do presidente Tullo Cavallazzi Filho. Confesso que sinto vergonha alheia. Amigo, pratique aquilo que seu engomado discurso sempre veiculou. Ou era só isso mesmo, discurso? Pois é. Digo, pois era."

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.